RECEBA ATUALIZAÇÕES RELIQUIA DA TV POR EMAIL coloque aqui seu email

Feche todos os anuncios para assistir.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

0

Desenhos que o Mundo Esqueceu - 58 Desenhos Raros dos Anos 30 / Qualidade Excelente / Audio em Inglês (pouca fala) / 2 DVDs




Ub Iwerks (O Criador):

Filho de holandeses que migraram para o Missoouri, o lendário Ub Iwerks tornou-se amigo de Walt Disney na adolescência. Quando esse criou seu estúdio em 1922, Iwerks foi o primeiro artista contratado, trabalhando como animador e colaborador de Walt durante os primeiros anos. Iwerks iniciou suas produções independentes em 1930. Após Mickey Mouse (1920), as grandes estrelas criadas por Iwerks, já em seu estúdio próprio, foram Flip the Frog e Willie Whoper.
 



Flip the Frog (1930) teve vida curta, desaparecendo três anos depois. Um dos principais fatores para o desprestígio de Flip foi a concorrência com Mickey Mouse. Os desenhos de Flip eram, quase sempre, julgados comparativamente aos desenhos de Mickey, devido ao grande sucesso que o rato obteve com o público. No desenho The Circus - estrelado por Flip - Ub foi acusado de plagiar o desenho de Mickey, The Karnival Kid. O sapo era, muitas vezes, contraditoriamente culpado de ser muito ou nada parecido com o rato da Disney. Devido a isso, Flip passou por mudanças freqüentes de aparência, retratadas no desenho Funny Face, que mostra uma parede repleta de máscaras faciais, pedindo para Flip fazer uma cirurgia plástica o mais rápido possível. O desenho Movie Mad - em que Flip se lança numa corrida pelos estúdios de Hollywood, ensinando como ser um ator - pode ser visto como uma infrutífera busca de Flip por uma identidade própria.
A exemplo dos filmes da época, também era comum nos desenhos de Flip a presença de desempregados, vagabundos, fugas de policiais e de cobradores de impostos, num estilo de comédia que buscava retratar a difícil situação econômica provocada pela Depressão de 30. O enfoque social é mostrado nitidamente no desenho What a Life!. Flip é um mendigo faminto que acaba sendo preso num vagão da polícia. Apesar da miséria não ser um tema freqüentemente mostrado, ela é tratada com comicidade no desenho The Office Boy. Nele, Flip tem que enfrentar uma fila enorme para garantir uma vaga de emprego de nível baixo. O mesmo tema é trabalhado no desenho Room Runners. Desta vez, Flip, sem ter dinheiro algum, tenta fugir de um hotel para se livrar do pagamento das despesas. Apenas numa época como a da Depressão, um desenho como The Nurce Maid pode fazer sentido. Na história, o sapo cuida de uma criança que acaba engolindo uma moeda sua. Depois Flip tenta recuperar seu dinheiro. 



Até mesmo objetos inanimados passavam a ter vida nos desenhos de Flip para mostrar as dificuldades financeiras da época. Em Laughing Gas, uma caixa registradora ganha braços para capturar os fregueses do consultório de dentista do Dr. Flip, que tentavam sair sem pagar.
Muitos desenhos de Flip, que foram produzidos antes do Code Production, (código que controlava o conteúdo das produções) levaram algumas pessoas mais sensíveis a considerá-los de mau gosto. Essas pessoas alegavam que os desenhos possuíam caricaturas étnicas, sexuais ou raciais que as ofendiam. Enquanto o rato da Disney era desenvolvido para ser uma mascote, seguindo valores tradicionais, Flip deixava transparecer um certo apelo sexual, que só era abafado pela sensualidade explícita de Betty Boop. Aliás, no auge da sua carreira, Flip tinha uma namorada incrivelmente semelhante com a Betty. Com a entrada de outros animadores no estúdio de Ub - incluindo os irmãos Fleischer -, os desenhos de Flip se tornaram mais repletos de duplos sentidos. 



O mundo sobrenatural foi, sem dúvida, outra fonte de inspiração para Iwerks e sua equipe. Esse gênero ajudou Iwerks a criar pequenos clássicos, como The Hadless Horseman, Stratos-Fear e Hell's Fire. O animador trabalhou também na produção do desenho Skeleton Dance para os Estúdios Disney. Iwerks demonstrava grande interesse pelo tema sobrenatural e, às vezes, chegava a abusar dele. É o que demonstra o desenho Spooks, onde um esqueleto gourmet se alimenta de uma refeição de esqueletos, jogando pedaços para seu cachorro esqueleto debaixo da mesa, que, por sua vez, era perturbado por uma pulga esqueleto.
O Ub Iwerks Studio formou seu time com profissionais como Carl W. Stalling, o futuro compositor da Looney Tunes, e Pat Powers. Entre outras produções, Stalling e Iwerks criaram os filmes The Soup Song e The Villhage Barber. Destacam-se também no Ub Iwerks Studio, as fantásticas aventuras de Willie Whopper em filmes como Air Race, Don Quixote e Ali Baba. Antes de finalizar suas atividades e contando com a contribuição de Pat Powers, o estúdio produziu ainda a fantástica série de contos de fada em Comicolor, iniciada com o desenho Jack and the Beanstalk. 



Iwerks foi glorificado pela sua capacidade criativa como o "Senhor faz tudo", sendo inclusive o inventor da câmera multiplana, que possibilitava colocar o fundo em distâncias diferentes, criando-se assim uma ilusão de percepção da realidade. Ub Iwerks atuou, durante um curto tempo, como diretor de desenhos na Columbia e, posteriormente, na Warner, retornando às produções de Walt Disney, onde seu trabalho obteve maior reconhecimento, sobretudo pelas produções com efeitos especiais. Iwerks recebeu dois Oscars em Scientific or Technical Award, o primeiro em 1959, e o segundo em 1964. 

Nenhum comentário:

Comentários Recentes


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...